artigos · Livros

{Resenha} “O narrador” de Walter Benjamin e o resgate da narrativa na vida cotidiana

“Por mais familiar que seja seu nome, o narrador não está de fato presente entre nós, em sua atualidade viva.” (Walter Benjamin)

Um dos benefícios que considero importante, desde que eu iniciei a pós em Literatura Inglesa e a estudar com mais afinco a teoria da literatura, foi o de ler artigos incríveis trazendo reflexões não só sobre o texto literário, mas sobre filosofia e outras áreas das humanas.

Na faculdade ouvi brevemente falar sobre o Walter Benjamin (1892 — 1940) que foi um teórico que contribuiu não só para os estudos literários, mas também para as outras áreas, como psicologia, filosofia, sociologia, etc. O mais impressionante é que além abarcar assuntos sobre as estruturas sociais, a queda da “aura” das obras de artes e o estudo de obras literárias, Benjamin trata desses temas conectando-os com a nossa realidade. Seus textos são atemporais.

E eu fui fisgada por um desses textos chamado “O narrador” que se encontra no livro “Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura”. Basicamente o autor analisa a obra de Nikolai Leskov, sob o viés do narrador e de como a burguesia e a vinda da imprensa fizeram com que o narrador oral desaparecesse para dar lugar ao narrador que conhecemos hoje, criado pelos escritores.

O teórico inicia com a temática de que a arte de narrar está em extinção, pois não há mais narradores orais, devido a falta de compartilhamento de experiências. O homem não consegue mais partilhar histórias com o outro.

Esse apontamento é dissertado com indícios de que: ” […] No final da guerra, observou-se que os combatentes voltavam mudos do campo de batalha não mais ricos, e sim mais pobres em experiência comunicável.”

Essa pobreza comunicável foi estabelecida devido ao sofrimento, as mortes, as torturas causadas pelas guerras. A fala foi silenciada; como então compartilhar essas narrativas que marcaram tão negativamente uma geração?

Benjamin também nos conta no decorrer do texto de como eram os narradores outrora, quando existiam pessoas que compartilhavam suas vidas para as outras gerações. Ele os chama de narradores viajantes, pois quem viaja tem muito que contar, e o narrador conhecedor de suas tradições que permaneceu na sua terra natal.

Nesse intuito, ele resgata a narrativa de Nikolai Leskov, destacando o narrador oral presente nos seus contos. Ainda, traz outros apontamentos sobre as experiências não comunicáveis e de como “dar conselhos” está em extinção na nossa sociedade. É como se o ser humano não tivesse mais disposição em ouvir e aconselhar o outro, estamos voltados a nós mesmos, aquém da realidade do nosso semelhante.

“[..] um homem só é receptivo a um conselho na medida em que verbaliza a sua situação). O conselho tecido na substância viva da existência tem um nome: sabedoria. A arte de narrar está definhando porque a sabedoria – o lado épico da verdade – está em extinção.”

Além desse tema, o critico aborda outros assuntos como o surgimento do romance no período moderno, a imprensa e a difusão da leitura que é pautada pelo silêncio e não pela oralidade, aborda também sobre a poesia épica e a experiência solitária dos escritores modernos ao criar uma narrativa. O escritor moderno não ouve ou compartilha histórias orais, a partir do seu universo criativo, ele desenvolve a sua própria narrativa:

“Essa fórmula lapidar mostra claramente que o saber que vem de longe encontra hoje menos ouvintes que a informação sobre acontecimentos próximos. O saber, que vinha de longe – do longe espacial das terras estranhas, ou do longe temporal contido na tradição -, dispunha de uma autoridade que era válida mesmo que não fosse controlável pela experiência. Mas a informação aspira a uma verificação imediata. Antes de mais nada, ela precisa ser compreensível “em si e para si”. […] Se a arte da narrativa é hoje rara, a difusão da informação é decisivamente responsável por esse declínio.”

E diante dessa difusão rasa da informação, o autor alega a perda da profundidade ao abordar os temas inerentes à formação do ser humano. O informar é vazio, fugaz:

“Cada manhã recebemos notícias de todo o mundo. E, no entanto, somos pobres em histórias surpreendentes. A razão é que os fatos já nos chegam acompanhados de explicações. Em outras palavras: quase nada do que acontece está a serviço da narrativa, e quase tudo está a serviço da informação. “

Nesse diálogo reflexivo, Benjamin alude não só a condição dos livros e sim a nossa vida como narradores de experiências. Depois que li esse artigo comecei a refletir mais sobre a minha posição como educadora e como posso transmitir as narrativas não só dos livros, mas visando também uma formação mais profunda. A literatura tem essa função humanizadora, já dizia Antônio Cândido. E nós como difusores e amantes dos livros também temos essa “missão” de mostrar aos mais jovens e aos mais maduros de que a narrativa é uma ponte para o conhecimento não só cientifico, e sim humanístico.

Referência:

BENJAMIN, Walter. O Narrador: considerações sobre a obra de Nikolai Leskov. In: Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. São Paulo: Brasiliense, 1994, p. 197-221

Até a próxima!

Agnes

 

 

 

Anúncios
Livros · Projetos

2| Projeto#lendocontos – “As Mil e uma noites” e a arte da palavra como fonte de sobrevivência

“[…] narrar é igual à vida; a ausência de narrativa, à morte” (TODOROV, p. 128)

#PROJETOLENDOCONTOS (1)

Olá pessoal, tudo bem com vocês?

Seguindo com o projeto de leitura #lendocontos em ordem cronológica, nesse segundo episódio vamos conversar sobre uma das noites (16º) em que Sherazarde conta uma de suas narrativas para manter-se viva até o nascer da aurora. O vídeo é em estilo “close reading”, focando a análise na forma estrutural do texto com embasamento teórico.

Link do segundo episódio:

Referências:
CATIA TOLEDO MENDONÇA. De contar e encantar: As mil e uma noites. Revista Diálogos Mediterrânicos – Dossiê “Literatura e Mediterrâneo”, v. 4, p. 62–74, 2013. Disponível em: <http://www.dialogosmediterranicos.com.br/index.php/RevistaDM/article/view/68>.
TODOROV, Tzvetan. As estruturas narrativas. 4. ed. Trad. Leyla Perrone-Moisés. São Paulo: Perspectiva, 2006.
CALVINO, Italo. “Rapidez”. In: Seis propostas para o próximo milênio. Trad. Ivo Barroso. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.
MENEZES, Adélia Bezerra de. Do poder da palavra. Remate de Males, v. 7, n. 0 SE-Artigos, 1 nov. 2012. Disponível em: <https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/remate/article/view/8636330>.
ANÔNIMO. Livro das mil e uma noites – Volume 1: Ramo sírio. Trad. de Mamede Mustafa Jarouche. São Paulo: Biblioteca Azul, 2017.
JAROUCHE, Mamede Mustaf. “Uma poética em ruínas”. In Livro das mil e uma noites. V.1.São Paulo: Biblioteca Azul, 2017.
Edição do livro (físico): https://amzn.to/2WW4HkJ
Quem ainda não viu o primeiro episódio, segue o link:

 

Para participar do Grupo no Facebook – clique aqui

Siga as redes sociais:

TwitterInstagram |Youtube

Podcast: (Spotify)

Estudos Literários

Até a próxima!

Agnes 🙂

Livros · Projetos

1 #PROJETO LENDO CONTOS – A Evolução do Conto e a Narrativa Episódica de “Caim e Abel”

Essa leitura faz parte de um projeto chamado #lendocontos no Grupo do Facebook – “Estudos Literários”.

#PROJETOLENDOCONTOS

Nesse primeiro episódio, conversamos sobre a tradição oral dos contos, e um “close reading” de um capítulo do livro “Gênesis” da Bíblia intitulado como “Caim e Abel”. Se você gosta de estudar e saber mais acerca da Literatura e dos Gêneros Literários, participe do nosso grupo e das redes sociais para não perder o dia de novos vídeos.

Segue o link do vídeo:

Referências do vídeo:

GOTLIB, Nádia. Teoria do Conto. São Paulo: Ed. Ática, 1987.

GANCHO, Cândida Vilares. Como analisar narrativas. São Paulo: Ática, 1991

AUERBACH, E. A Cicatriz de Ulisses. In: _______. Mimesis: a representação da realidade na literatura Ocidental. 4 ed. São Paulo: Perspectiva, 2001. p.1-20.

https://amzn.to/2IEpijN

BRAIT, Beth. A personagem. 2. ed. São Paulo: Editora Ática, 1985.

https://amzn.to/2I2abBh

“Caim e Abel” (Gênesis 4, 1-16) Bíblia Ave Maria (Estudos) – Versão Ebook: Editora Ave-Maria; Edição: 3 (1 de setembro de 2017)

https://amzn.to/2WxwFmP

Para participar do Grupo no Facebook – clique aqui

Siga as redes sociais:

Twitter| Instagram |Youtube

Podcast: (Spotify)

Estudos Literários

Desculpem por qualquer problema técnico de som ou edição do vídeo. Ainda não sei manusear muito bem essas ferramentas.
Conto com o seu comentário para abrirmos a discussão sobre a evolução dos contos. 😉
Ideias, sugestões, complementações também são bem-vindas. 🙂
Até a próxima;
Agnes
Podcast Literário

Indicação de Podcast Literário

Os podcasts, (conhecidos como programas de rádio), têm sido cada vez mais ouvidos e acessados. A principal razão é a facilidade de ouvir em qualquer lugar (no ônibus, limpando a casa, nas filas dos bancos, etc).

Há dois anos que acompanho os podcasts e pensando nisso resolvi criar uma lista com os que eu mais escuto, com ênfase nos que falam de literatura. 🙂

Os links abaixo são do aplicativo “CastBox” (é um agregador de podcast). Ele é gratuito e qualquer podcast do mundo pode ser acessado por ele. Recomendo!

Como Começar

Nexo – Como começar:

Este é o Como Começar, podcast de cultura do Nexo, um jornal digital para quem busca explicações precisas e interpretações equilibradas sobre os principais fatos do Brasil e do mundo. O programa se debruça, a cada episódio, sobre a obra de um autor ou movimento da literatura, da música ou do cinema.

Favoritos:

Como começar a ler Virginia Woolf

Como começar a ler Clarice Lispector

instituto cpfl - café filosófico

Instituto CPFL – Café Filosófico

Palestras do instituto cpfl, que incluem o programa café filosófico. Esse podcast inclui muitas palestras sobre literatura, sempre relacionando com a filosofia, sociologia e antropologia.

Favoritos:

Hamlet e o mundo como palco (Leandro Karnal)

Dostoiévski – Crimes sem Castigo (Flávio Valosser)

Rádio Companhia

Rádio Companhia

O podcast do Grupo Companhia das Letras.

Favoritos

#30 – Mrs. Dalloway

#74 – Grande sertão: veredas

Chá das Cinco com Literatura Podcast

Chá das Cinco com Literatura

Podcast para pensar o mundo a partir da literatura.

Favoritos:

#03 Jane Austen e “Orgulho & Preconceito”

#13: Jane Eyre de Charlotte Brontë

Narrativas

Narrativas – Carambaia

Narrativas é o podcast da editora CARAMBAIA. Com participação de jornalistas, escritores, designers e editores de outras casas editoriais, a Carambaia propõe uma conversa descontraída sobre o mundo literário a partir de assuntos relacionados a seus livros – mercado editorial, diferentes tipos de editoras, experiências como profissionais da área e, sobretudo, como leitores. Um novo programa a cada quinze dias.

Favoritos:

Narrativas #01 Literatura Fantástica

Narrativas #10 Mulheres e Literatura

 

Podcast (Em Língua Inglesa)

Para treinar o idioma, também escuto podcasts em inglês. Esses são os meus favoritos:

The Great Books

The Forum (BBC)

In Our Time: Culture

Se você tem alguma indicação de podcast, deixe um comentário com os seus favoritos. 🙂

Até a próxima!

Agnes

 

Livros · Projetos

Projeto de Leitura #lendocontos

Depois de encerrar o Projeto de Leitura “Alice no País das Maravilhas”, pensei muito sobre como trazer outros projetos que envolvam estudar mais a teoria da narrativa. Com isso, resolvi criar o projeto #lendocontos. O gênero conto sempre foi um dos meus favoritos na faculdade e também na pós, principalmente o conto moderno e contemporâneo, mas nunca estudei profundamente a sua evolução e como o conto chegou hoje nesse status ainda sem uma total definição, como cita Julio Cortázar: curto, arrebatador, intenso…

No entanto, para entender como o conto se estabeleceu como um dos gêneros mais importantes é necessário buscar fontes que tratam sobre a sua história e desenvolvimento. Nesse intuito, separei um bibliografia, que aos poucos será acrescentado mais livros, como o da Nadia Gotlib “Teoria do Conto”, Julio Cortázar, Edgar Allan Poe, Ricardo Piglia e complementando mais livros sobre a estrutura da narrativa como Normam Friedman, Benedito Nunes, Todorov, entre outros…
Então, fica o convite de se você quiser participar, vou postar por aqui, os contos e as sugestões de livros para complementação da leitura. O vídeo e o podcast sairá a cada 15 dias.😊

Nessa primeira semana, vamos conversar sobre a tradição do conto oral e suas manifestações. A leitura será o episódio na Bíblia sobre “Caim e Abel”, pois segundo a teórica Nadia Gtlib, no livro “Teoria do Conto”, esse episódio se aproxima da estrutura do conto, sendo uma das primeiras manifestações do gênero no Ocidente. O post, vídeo e podcast será lançado até o dia 15 de junho.

Participe do Grupo de Estudos Literários no Facebook:

grupo facebook

Clique aqui.

Siga as redes sociais:

Twitter| Instagram |Youtube

Podcast: (Spotify)

Estudos Literários

 

Até a próxima!
Agnes 😊

#lendocontos #projetodeleitura

Livros · Podcast Literário

#5 Projeto de Leitura – “Alice no país das Maravilhas” (Semana 6 – Final) + podcast

Depois de quase 1 mês lendo “Alice no País das Maravilhas”, chegamos nos últimos capítulos e no final do projeto de leitura. Agradeço a todos que participaram e, mesmo não lendo o livro nesse momento, acompanharam a nossa evolução de leitura. Gostei muito de aprender mais e de compartilhar as minhas impressões desse clássico que segue vivo e atual em pleno 2019.

Projeto de Leitura _Alice no País das Maravilhas Episódio #1

Abaixo os links para ouvir o podcast:

|Spotify| |Spreaker| |Youtube|

Como lembrança, criei um Marca Página com um trecho que resume bem a jornada da personagem Alice. Ela que, a partir de uma viagem para o País das Maravilhas, amadureceu e se tornou uma criança mais decidida e conhecedora de si mesma.

Link para o download do Marca Página:

|PDF (Impressão)|

|PNG|

Marca Página - Alice

Referências do episódio:

Livro “Alice no País das Maravilhas” – Edição Comentada e Ilustrada (Zahar):
https://amzn.to/2IaWvoY

FRANCO, Claudio de Paiva. Por uma abordagem complexa de leitura. In: TAVARES, K.; BECHER, S.; FRANCO, C. (Orgs.). Ensino de Leitura: fundamentos, práticas e reflexões para professores da era digital. Rio de Janeiro: Faculdade de Letras da UFRJ, 2011. p.26-48.
Disponível em: http://www.claudiofranco.com.br/textos/ebook_leitura.pdf

grupo facebook

Participe do Grupo “Estudos Literários” no Facebook:

Clique aqui

Até a próxima! 😉

Agnes

 

 

Livros · Podcast Literário

#3 e #4 Projeto de Leitura – “Alice no país das Maravilhas” (Semana 3,4 e 5) + podcast

O podcast Estudos Literários nesse mês de maio está realizando junto com o Grupo do Facebook, o projeto de Leitura de “Alice no País das Maravilhas”. Já chegamos nas semanas 3, 4 e 5. Nesses episódios temos um copilado com as minhas impressões de leitura dos Capítulos (5 ao 10). Se você quiser participar, no Grupo tem todos os posts de discussão.

Participe do Grupo:

https://www.facebook.com/groups/2246055592120829/

 

Segue os links com os episódios:

Episódio #3 (Capítulos 5 e 6)

Ouvir pelo: |Spreaker| |Spotify|

Episódio #4 (Capítulos 7, 8, 9 e 10)

Ouvir pelo: |Spreaker| |Spotify|

Até a próxima!

Agnes